Skip to content

Caras que eu adoro odiar: Tom Brady

17/12/2015

TomBradyPatriotsRings

Caras que eu adoro odiar: Tom Brady

Por U10

Eu já escrevi sobre muita coisa chata, polêmica, questionável e irascível, mas nada tem a particular profundidade dessa coluna. Portanto, recomendo que você feche essa página da internet caso a sua mente não esteja suficientemente aberta para sofrer duros tackles que neste momento provém dos dedos tortos de um aficionado por futebol americano, especialmente por odiar o amado Tom Brady.

Se esse texto estivesse em algum portal focado em pseudo-celebridades e suas vidas ilusórias de ostentação talvez devesse ser levado a sério, mas nem eu me levo a sério, portanto, se você ainda não fechou a página se prepare para ler uma das histórias mais conturbadas possíveis, cujo o palco, é o nosso predileto: os estádios de futebol americano.

Lá atrás na história, posso dizer que eu não sabia quem era Tom Brady, ninguém sabia. Ninguém venha me dizer que o pragmático William Belichick sabia que estava draftando o melhor quarterback de todos os tempos na 6ª Rodada, escolha de número 199 do Draft de 2000. Ninguém, nem mesmo aquele calouro desajeitado de Michigan sabia que ele seria o maior quarterback de toda uma geração, que seria multimilionário, se casaria com a Top One do mundo da moda e que teria uma ode de fãs e haters, como eu.

TomBradyDraft

Já foi um milagre aquele cara ficar no elenco de 53 na temporada de 2000 e, isso só foi possível porque o time estava em formação. Nenhum time formado, mantém 4 QBs em seu elenco. Todavia, se ele tivesse sido cortado, não saberíamos se ele teria outra chance ou mesmo se o time que o pegasse saberia aproveitar ao máximo seu talento, como Bellichick. O importante é que a partir de 2001, o Patriots contou sempre com uma defesa superior. Craques jogavam ali, caras como os CBs Ty Law (o cara que no futuro retornaria uma interceptação do Rams para touchdown no Super Bowl) e Ottis Smith, LBs Willie McGinest, Tedy Brushi e Mike Vrabel (adorava pagar de TE em jogos decisivos) além de um calouro destruidor chamado Richard Seymour. Nos anos seguintes, adicione a essa máquina mais três peças fundamentais: Rodney Harrison e Asante Samuel e um pouco depois o falecido HOF Junior Seau (RIP).

Acho indispensável ressaltar a defesa por dois motivos: o primeiro, é que ataques ganham jogos, defesas ganham campeonatos. Segundo, ninguém valoriza o Bill Belichick como gênio defensivo, mas ele é.

2001 foi um ano de transição na minha vida, eu era um cara muito espiritualizado e vivia graves conflitos entre a minha fé e a faculdade. Nos gramados de futebol americano despontava um calouro sensação chamado Ladailian Tomlinson (que só pela dificuldade do nome, já era um cara pra despertar a curiosidade) e o início da temporada foi marcado pelo ataque às torres gêmeas. No jogo contra o Jets, o QB Drew Bledsoe que já havia disputado (e perdido) um Super Bowl foi duramente atingido e um tal Tom Brady assumiu o time na derrota. Não fez nada de espetacular, não.

Alguém sabe em cima de quem foi a primeira vitória de Brady como titular? Não vale procurar na internet. Se você chutou Peyton Manning, você acertou! Só que não foi o Brady que ganhou, foi a defesa, Ty Law e Ottis Smith retornaram interceptações para TD e tudo ficou mais fácil. Mas dava pra ver que aquele magrelo tinha futuro e, principalmente, que ele cresceria às sombras do estatístico Peyton Manning.

O primeiro jogo que eu vi de Tom Brady acho que foi na semana 11 contra o Dolphins, que tinha Jason Taylor, voando. E foi um massacre, Brady boy lançou para 4 TDs e ganhou meu coração. O meu Niners era um time OK, ainda tinha o Terrell Owens (destruindo) e o Jeff Garcia teve a sua melhor temporada na NFL, mas não me conquistou, seu jogo era mais previsível que luta de brasileiro campeão no UFC. Tanto que, eu passei a ser muito ligado ao Brady, assim como hoje curto demais ver o Cam Newton, o JJ Watt, o Larry Fitzgerald ou o Aaron Rodgers. Eu realmente adorava ver o Tom Brady jogando e melhorando a cada partida.

Se você chegou até aqui, prepare-se para a mais dura realidade da sua vida. Você ainda pode tomar a pílula azul e seguir seu caminho, porque se continuar lendo, é porque tomou a pílula vermelha.

O New England Patriots avançou para os playoffs e na pós-temporada, nós sabemos que o Patriots perdeu para o Raiders. Polêmicas à parte (sei que vai ter uma dúzia de comentários me execrando) mas aquilo foi fumble, a tuck rule estava errada, tanto que hoje aquela regra não existe mais. Simplesmente porque fumble é fumble! E, com esse lance, a bola voltaria pro Raiders e Rich Gannon ajoelharia três vezes e já era. Mas…

Pergunte o que eu achei no momento?

Eu achei a coisa mais maravilhosa do mundo. Nunca gostei da postura marrenta do Charles Woodson, eu queria era ver o Patriots ganhando, ainda mais porque nenhum torcedor do Niners aceitou ver o Jerry Rice jogando (e bem) com a camisa do Raiders. Simplesmente porque eles ficam do outro lado da bay. É como ver o São Marcão jogando no Corinthians ou ver o Sócrates com a camisa do Palmeiras. A minha dor foi ver Zico no Vasco. Alguém consegue me entender? Era repugnante. Então que se danem as regras da NFL, o Patriots ganhou e ponto. Não importa se foi fumble, o placar entrou para história e ninguém pode mudar isso.

Vocês acham que eu gostei do Patriots vencendo os Steelers? Sim. Naquela época os metaleiros eram bem sujeira, tanto que tiraram o Brady do jogo na porrada. Agora o principal: vocês acham que eu torci pro Rams? Sério, o tal do maior show da terra? Para quê? O maior show da terra foi o Niners do Montana, aquele time sim era a coisa mais legal do mundo e na época só sabiam falar do Warner e companhia. Tipo as casas de apostas, colocavam o Patriots como azarão dos azarões, na época diziam abertamente que era o time mais fraco a chegar a um Super Bowl. Isso desperta na gente a vontade de torcer pelo mais fraco e eu o fiz. E vou confessar uma coisa aqui: Eu nunca torci tanto para um time que não fosse San Francisco num Super Bowl e nunca mais vou torcer. E, me arrependo, porque eu não concordo em ser feito de idiota, porque eu acreditei (na época) que tinha visto a maior batalha de Davi contra Golias da história da NFL e isso foi o ponto principal pra fazer de mim um hater.

Agora vou usar a lógica. Não vou dizer que aquele jogo foi roubado, apenas que COM CERTEZA ABSOLUTA, IRREFUTÁVEL, INCONTESTÁVEL, os Patriots tiveram acesso aos vídeos com as jogadas do St. Louis Rams, para a partida. Isso não está em discussão. Só que são duas coisas totalmente diferentes:

1 – No jogo contra o Raiders, foi fumble. O jogo acabaria e infelizmente os Raiders avançariam. Só que não, e para minha felicidade o Vinatieri acertou o field goal e quem avançou foi o Patriots.

2 – No jogo contra o Rams, o Patriots conhecia o Playbook adversário porque foram filmadas as jogadas de ataque. Isso foi feito antes? Talvez. Foi feito contra outros times? Provavelmente. Foi feito depois? Há uma possibilidade. Eram 53 caras contra 53 caras. O Rams poderia ter interceptado Tom Brady, poderia ter bloqueado o field goal decisivo, poderiam ter ido pro no huddle antes, mas não foram, então, eu não tiro os méritos do Patriots na vitória.

Dito isso, eu adorei ver Tom Brady campeão. Fiquei meses com aquela imagem na cabeça: o moleque da sexta rodada calou o mundo. Não pensem que foi na hora que todo mundo falou: “ah tem treta ali!” Tiveram algumas reclamações do Kurt Warner mas ninguém deu muita bola. Só que com o passar do tempo e o crescimento da internet muita coisa começou a ser dita e, nesses casos, onde há fumaça, há fogo.

O spygate só veio à tona em 2007 por causa de um jornal de Boston e um tal Walsh que era o responsável pelas filmagens do time. Só que o ponto principal foi que caras do Jets conseguiram provar filmagens de treinos deles e, isso (e não o ocorrido no Super Bowl) causou a perda de uma escolha de primeira rodada para o Patriots e uma multa de $500 mil dólares para o técnico Belichick. Na minha humilde opinião, foi uma punição desproporcional da NFL (Spy no jogo do Jets). Era claro que Goodell estava fazendo um mea-culpa e punindo duramente os Patriotas. Mas o estrago já estava feito.

Brady foi o quarterback de uma dinastia, mas penou com recebedores bem ruins em grande parte de sua carreira. Coincidentemente, nesta mesma época, sua defesa era fora de série, para dizer o mínimo e o jogo corrido contava com dois caras muito especiais Kevin Faulk e Corey Dillon. O primeiro era o melhor running back recebedor de sua geração, disparado, e Dillon, que só chegou ao time no final da dinastia, corria com gosto. Era bom de ver esse cara jogar. Tirando os dois, havia um jogador chamado Deion Branch. Já ouviu um cara dizer que certa garota o faz melhor, é exatamente isso o que Branch pode dizer de Brady. O QB fez dele um cara incrível.

Nesse espaço de tempo, o menino que eu adorava foi se tornando um produto da mídia. Não andava mais desajeitado, de caminhonete e querendo mostrar para o mundo que se sentia renegado. Foi aí que eu (e maior parte das pessoas) passamos a odiá-lo. Vê-lo vencedor, ameaçando o posto do Montana, quebrando recordes, pegando supermodelos, oras: se temos de odiar alguém, que ao menos seja um cara bem-sucedido. O meu gosto era ganhar dele no Madden. No Madden 2006, tinha o McNabb na capa, ganhei do Patriots até com os Argonauts, time sei lá de onde na Europa, só pra mostrar que eu era o cara.

Nessa fase eu já era um hater assumido e na temporada de 2007, tinha Randy Moss, Wes Welker e aquela defesa, faziam a gente torcer desgraçadamente contra. Tudo inútil, tudo em vão. Lembro que no Super Bowl inventei uma desculpa pra minha ex e fui assistir ao jogo com o meu irmão no Bandsports. Sim, com o Mancha comentando junto com o Zimmerman. Se você espera ouvir em algum lugar as latidas do Paulo Antunes nas recepções do David Tyree, esquece. E foi muito legal, muito legal mesmo ver aquele drop do Welker e o Brady desesperado tentando ganhar o jogo na unha, mas não tinha jeito porque a linha ofensiva não segurava ninguém: Umeniora, Tuck e principalmente o Strahan não o deixavam em paz. Faz tanto tempo que o Eli tinha um cara chamado Steve Smith e não era o cara do Panthers. Aquele jogo foi fenomenal. Aquela derrota foi quase tão satisfatória quanto ver o Brasil sem corruptos, foi maravilhoso.

No outro ano o Brady jogou 15 minutos e Marcus Pollard numa jogada questionável arrebentou com o seu joelho e, de uma hora para outra, o Super-Patriots virou um time normal que não foi para os playoffs. Brady voltou, mas alguma coisa foi mudando e a raiva foi diminuindo. Ele perdeu duas vezes para o Ravens, depois chegaria novamente ao Super Bowl com seu esquema de ataque baseado em cross routes, mesh e levels (adoro) utilizando dois TEs e o Welker sempre nas costas dos linebackers, era muito divertido ver a engenhosidade do BB, mas de novo tinha um Eli no caminho e, dessa vez, o milagroso foi o incompetente Mario Manningham que nunca fez nada legal na NFL, só uma recepção impossível (a do OBJ é mais bonita, mas a do Manningham foi talvez a 2ª recepção mais decisiva da história do Giants). Dessa vez Tom Brady podia ter ganho, afinal meu irmão não estava na frente da televisão nos momentos decisivos, só que na hora que ele voltou, o Welker dropou de novo. Eu olhei para ele, ele olhou para mim e só dissemos duas palavras: “já era.”

Brady foi ficando mais velho e eu também. Hernandez foi preso, o Gronk virou o 2º melhor tight end da história (daqui alguns dias quando ele passar o Tony Gonzalez vira o melhor, simples assim), o Welker (felizmente) foi mandado embora, o Belichick draftou uns 3 RBs errados e só foi se acertar com o RB renegado pelo Bucs e Steelers e chegou a hora de enfrentar os monstrinhos do Seahawks num dos Super Bowls mais imprevisíveis da história.

E agora, quem odiar? O jogador que se tornou um grande campeão ou um time perfeito? Claro que vou odiar o time perfeito, afinal, meu QB Colin Kaepernick não consegue vencê-los quando precisa. Talvez Brady Boy consiga, e, na verdade, ele não venceu. Quem venceu foi o time limitado e superaplicado do Patriots. Que conseguiu fazer de suas fraquezas, suas potencialidades e de seus defeitos, coisas que na verdade não fizeram a diferença. Os Patriots foram campeões, o Brady conseguiu seu quarto anel, mas não sem uma polêmica para que pudéssemos continuar o odiando: o  Deflategateou as bolas murchas do Andrew Luck. Juraram punir exemplarmente o Brady, o cara quebrou celular, rolou a maior novela mexicana e no final, tudo acabou em pizza. E o comissário Goodell ficou com “cara de pastel”.

Como torcedor do Niners, sei que o Brady deveria estar no meu time, afinal foram seis rodadas (inclusive pegamos um sujeito que se dizia QB naquele Draft), simplesmente porque ele cresceu (assim como eu) torcendo para o time de vermelho e dourado. Mas a vida é difícil e as escolhas erradas custam caro.

Agora Brady tem mais 3 ou 4 temporadas no máximo. E digo isso sendo muito otimista, mas também me baseando em fatos: seu release continua bom, sua força não demonstra queda e sua visão do jogo está ainda melhor. Ele nunca será um atleta, mas quem disse que quarterbacks são atletas? Ele sempre, sempre, sempre será um cara que vai roubar muitas horas do meu domingo, só para vê-lo jogando esperando uma jogada incrível como “a Estátua da Liberdade” contra o Jaguars em 2007, ou um lance idiota tipo quando ele quer fazer “high five” e todo mundo o despreza ou mesmo quando tem um lançamento terrível e sua bola acaba sendo retornada para touchdown. Acho que essa é a parte que eu mais gosto: porque sempre depois ele dá um jeito de recobrar as suas forças e fazer grandes drives.

Mas não esqueça Thomas Edward Patrick Brady Jr. (oh, nominho danado!) eu adoro te odiar.

Anúncios
38 Comentários leave one →
  1. 17/12/2015 11:27

    Muito bom o texto U10.
    Minha relação com Tom Brady é bem parecida com a sua tirando o jogo roubado contra o Raiders.
    Torci para a zebra Patriots contra o Rams, passei uns anos odiando (minha época Manningzete) e torcendo contra aquela dinastia espetacular e hoje em dia apenas aprecio o melhor quarterback da história em campo.
    Como torcedor do Lakers passei minha vida torcendo contra o Michael Jordan e me arrependi de não ter apreciado sua grandiosidade.
    Apenas uma correção no texto, o Patriots murchou suas próprias bolas por causa do frio e neve, não mexeram nas bolas do adversário.

    • Leo Cavalcanti permalink
      17/12/2015 12:34

      Danilo… na minha juventude fui atleta do basquete, defendendo o Clube Atlético Paulistano, (nas categorias de base) e fico feliz em saber que torcemos pela mesma equipe… os Lakers… como sou mais velho, vi defendendo essa equipe dois dos maiores jogadores de todos os tempos… Wilt Chamberlain (já no final de carreira) e “Lee Alcindor”(minha admiração por ele vem do tempo que ele tinha esse nome) e fico na dúvida se o Michael Jordan foi mesmo melhor que eles… ambos jogaram numa época em que a TV não era tão presente… porisso o grande destaque do MJ…. mas o que ambos faziam em quadra era simplesmente fantástico… pena que não chegaram a jogar juntos… mas as cores amarelo, roxo e branco vão estar presentes pra sempre na minha lembrança… devido a esses dois monstros sagrado do basquete…

    • U10 permalink
      17/12/2015 12:39

      “as bolas murchas do Luck” foi licença poética, tipo bola cheia e bola murcha do fantástico… rs

      Mais uma vez, obrigado pelas fotos amigo.

  2. Gustavo Laydner permalink
    17/12/2015 11:48

    Cara, muito legal esse texto. Dei boas risadas… acho que deve ser porque eu me vi em você nesse texto, ainda mais por ver meu time (Eagles) sendo derrotado pelos Patriots. Mas hoje passei a admirar Tom Brady que pra mim é, indiscutivelmente, o melhor e maior QB que eu vi jogar.

  3. 17/12/2015 12:42

    baita texto. problema de grande parte dos que nao gostam do brady é que focam só nos aspectos ruins da carreira, e passam a definir ele como um cara que só se beneficiou disso.

  4. U10 permalink
    17/12/2015 13:48

    • Carlos permalink
      17/12/2015 14:46

      que legal, quem não vê o entrosamento/relação dele com os companheiros no jogo, acha que ele é odiado até por eles

    • Go Patriots permalink
      18/12/2015 01:00

      Edelman disse em uma entrevista que eles faziam de propósito, para deixar o Brady mordido..rs.. Vai saber…rs..

      • U10 permalink
        18/12/2015 04:19

        Vc perdeu de ser a primeira pessoa a ler esse texto e de opinar em algumas partes… acontece rs,,rs..rs

      • Go Patriots permalink
        18/12/2015 16:10

        Querido U10 – Perdi não, bom texto mas já imaginava alguns tópicos sobre os quais tenho fortes opiniões.
        Entre entrar em debate e manter nossa alegria de brincar aqui, fico com a segunda opção.

      • U10 permalink
        18/12/2015 16:28

        Talvez suas fortes opiniões ajudassem a formatar algo melhor, com outra visão… mas tudo bem… bom fds

  5. U10 permalink
    17/12/2015 14:03

  6. 17/12/2015 14:48

    Permitam-me discordar, Tom Brady é ótimo mas não é e nunca será o melhor da história e nem da geração. Participou de alguns times incríveis sem dúvida.Mas seu jogo é inteligente e seguro mas não fenomenal.Não troco a chance de ver Brees ou Rodgers para ver o Brady em ação (em caso de jogos no mesmo horário ).Do próprio Patriots acho que o divertido mesmo é ver o Gronk com dois marcadores entrando na end zone como se estivesse indo comprar pão.
    Acho que essa discussão de melhor QB é tipo Messi x CR7 , se esquecem que o Barça teve por muito tempo um elenco muito melhor que o Real (méritos dele é claro ), então por mais que CR7 seja melhor de pé direito e de cabeça todo mundo vai falar da canhota do Messi …

    • Yuri permalink
      17/12/2015 19:56

      Concordo em tudo
      E ainda adiciono 50% do Brady eh o Bill Belicheat
      Assim como 90% das trapaças tambem são ele, pq ninguem vem me dizer que um QB que encosta mais a mão na bola do que na Gisele, nao sabe reconhecer uma bola esvaziada
      Outra grande coisa, o time dos Patriots sempre foi bom, SEMPRE
      Jogar em um time meia boca, jogar em um time em rebuild é uma coisa
      Agora o Brady sempre pegou um time ajeitado, pode não ser o melhor da temporada, em termos de elenco, mas nunca foi abaixo de 10º
      Que temporada, desde que o Brady entrou, que vc pega e fala, eh os Patriots não estão nem entre os 10 melhores times
      Isso faz uma diferença gigantesca, vc ter um jogo corrido eficiente, sempre foi a marca dos Patriots, vc nao precisa arriscar passe de 30 jardas nas 3ª descidas, você nao precisa fazer uma campanha de 10 passes seguidos.
      Disputar playoff com times fortes ou pelo menos nota 7 em todos setores é muito melhor do disputar com times sem defesa, ou sem jogo corrido. como foram os Colts, foram não, como são os Colts.
      Tom Brady é um dos melhores QBs, eh muito bom no no-huddle, eh “cluch” (70% disso vai na conta do Belicheat, pq o fdp eh bom, mesmo sendo dick vigarista), e com certeza não existe QB mais vencedor que ele, mas no quesito habilidade (E aqui eu involvo tudo, toque na bola, precisão, força, leitura das defesas, presença de pocket, etc..), Tem gente melhor que ele.
      Mas enfim..
      Eu troco facil jogos dele pelos do Drew Brees, do Rodgers, do Peyton Manning antes do pescoço. Do que akele joguinho arroz com farofa, de corrida, passe lateral, passe de 3 jardas, corrida, passe de 4 jardas, etc..
      Troco porque eh muito mais gostoso de se assistir aqueles 3
      Mas não trocaria se o meu time fosse os patriots, pq quer queira quer não, é uma das melhores estratégias para se ganhar e era exatamente o que o meu time deveria estar fazendo esse ano :P, Mas nao é todo mundo que tem chance de ter o melhor e o mais sujo técnico da historia da NFL

  7. 17/12/2015 15:15

    Belo texto.
    Danilo,
    Eu também tenho estes problemas, depois da terapia estou melhorando:
    Não gostava do Maradona, mas achava legal o Zico e achava legal/heróico achá-lo o melhor mesmo sem ter ganho a copa do mundo como o primeiro fez;
    Preferi Magic Johnson, e odiava o Jordan. E nesta leva, também torcia o nariz contra o Oscar Schmidt;
    Montana, Steve Young? que nada, eu preferia o Kelly do bills, aquele que perdeu vários SB’s;
    E aquele time sensacional do Cowboys que fizeram miséria nos anos 1990? Odiava-os porque Dallas foi o lugar que mataram o Kennedy (o que isto tem a ver, nada, nem na terapia me explicaram);
    A partir daí comecei a fazer terapia e parei de reclamar dos bons e desistir dos ruins (ou não tão bons). Comecei a torcer para os patriots neste ano 1 do Brady, mas ainda como reflexo psiquiátrico de torcer pelo pobre coitado, odiava o Manning e desconsiderava qualquer coisa boa que fazia. E ainda achava Kobe e depois Lebron enganações.
    Hoje, estou melhor, consigo torcer pelo patriots e ficar feliz quando ganham. Achei espetacular a atuação do Lebron nos títulos Heat mesmo torcendo contra ele, e torço agora que consiga levar um título para Cleveland (a cidade que não ganha nada há 50 anos).
    E é isto que você afirma, o torcer não significa negar a grandeza dos adversários.
    Abraços,

  8. 17/12/2015 20:54

    parabens, U10! mais um excelente texto!!

    OFF:
    alguem aqui ja leu aquele livro Tire os Olhos da Bola?
    porra, li e achei sensacional, mesmo acompanhando NFL faz tempo, e jogando flag, aprendi muita coisa.
    agora quero ler mais!
    alguem sabe indicar outros livros sobre FA e NFL???

  9. Dario Frazão permalink
    17/12/2015 21:09

    Nossa, muito bom texto meu camarada, juro que não esperava um texto desse seu sobre o “brede” a única coisa que lamento foi de só ter começado a assistir nfl em 2007 (só em 2009 comecei a torcer pelos pats) e não ter acompanhado aquela defesa monstruosa, e alguns jogadores excelentes de outros times…

    Parabéns

    Abraços

  10. 17/12/2015 22:11

    Parabéns!!!
    Belo texto!!!
    Vou da minha humilde opinião
    Em 2005 eu tinha 10 anos o tempo já comesava a muda já tinha celulares nokia preto e branco é inqueabraveis ja existia o mal das criancas de hoje o video game lembro q eu só jogava bola na rua frente a minha casa e andava de bike subia nas árvores do quintal de casa goiaba pitanga manga ficava a manha toda comendo coisas de moleke que hoje minguen faz
    Mas um dia meu pai traz pra casa algo íncrivel uma coisa de outro mundo um PS2 (melhor video-game do mundo junto com o super nintento não vão mais fazer video games como esses) na quele tempo eu men sabia o q era FA mais um dia comprei um jogo de FA (so sei que era da EA mais nao era NFL era NCAA sem nomes de jogadores aprendi na narra na dificuldade maxina como sempre foi mhnha vida
    RB eu falava Hall Beck
    WR eu falava Raiiz Sii
    TE eu falava Tri Tend
    Shotgum era Istougir
    Tomei 100 pontos em um jogo…
    Mais era FODA
    SAUDADES
    Depois dese jogo eu conhecir FA gostei pra zorra e aprendi na marra
    Quanto vi o Brady foi apatia a primeira vista não sei se é pq ele pega a Giselle e eu não… mais… eu queria mais…
    Reconheco uma capacidade dele que é a lideranca o algo de vencedo vejo torcedor dos Packers falando dos seus WR se o Brady tive lá esses caras pegava a bola na marra não so fan do Brady mais admiro sua lideranca
    A os caras que o odeia vc um dia vai falar “o Brady era bom cara” vc vai gosta dele mesno que seja na marra qual a q aprendi FA na marra!!!
    Muito bom texto U10

    • U10 permalink
      18/12/2015 04:31

      Cara, acredite se quiser mas o primeiro videogame q eu peguei na vida foi um atari de madeira… eu disse MADEIRA… sério! Pode perguntar pro Danilão e pro Leo, EXISTE essa parada e hoje deve valer milhares de reais se ainda funcionar.
      A minha relação com os games é tão forte que cheguei a apresentar trabalho na facul sobre o assunto e a usar ideias de games quando dava aula… diga-se de passagem a turma pirava! Mas eu nunca deixei de me movimentar (exceto qdo tava quebrado msmo) e isso acabou me ajudando bastante a ter mais saúde e a viver melhor.
      Certa vez o médico queria me operar e mandou fazer uns exames e ele falou: pô nunca vi um sangue desses, é melhor q o meu! E eu disse tem q se mexer meu e não comer porcaria.. o cara riu, mas continuou sedentário e assim vai ficar pra sempre.
      Mas voltando a falar do Madden, é basicamente a razão de existir do meu ps3 e de vez em quando jogo pra desestressar. Eu nunca fiz mais de 100 pontos, soh no NCAA umas 2 vezes, mas também nunca tomei mais de 40 pontos, sou muito vidrado em defesas…
      Soh mais uma coisa: eu já pegava as guriazinhas atrás da escola qdo tu nasceu! Caracas, me senti gasto agora… kkkk

      • Leo Cavalcanti permalink
        18/12/2015 12:18

        Pô U10… agora você me jogou pra baixo mesmo… não só a mim como o Big Boss também… chamou nós dois de “experientes” na cara dura… sem dó… tô me sentindo como se tivesse sido tackleado pelo Kueckly e Normam juntos… com o Sherman vindo na corrida pra terminar o serviço… rsrsrsrs… mas tudo bem… pelo menos eu cheguei até 6.3, mesmo fumando quase dois maços por dia inteirão (sou do tempo em que fumar era bonito e dar o rabo era feio…continuei fiel a esse princípio e vou morrer assim).. e posso me orgulhar de nunca ter tomado remédios, pressão sempre em 12 x 8, nunca ter passado um dia sequer internado, nenhuma operação, colesterol, triglicérides e essas porras todas que fazem parte do imaginário de vocês pra daqui a alguns anos… única coisa que não descuido… a famosa “dedada” todo ano… é por causa dessa prevenção que não uso a famosa pílula azul… ainda… veja bem… ainda… afinal são 3 casamentos nas costas… se um dia necessitar não vou fazer como o Tom Brady… vou pedir pra inflar as bolas e soltar o braço… (precisei me controlar agora por causa das nossas musas… rsrsrsrs… ia falar outra coisa….)

        Realmente você tem razão… existiu mesmo o Atari de madeira… foi um baita salto nos brinquedos… quando lançaram isso eu já tava em outra dimensão… meu filho do meio… que tem a sua idade é que curtiu esse brinquedo… não imagina o quanto era caro essa porra… a molecada vinha e ficava em casa o dia inteiro jogando… as vezes precisava dar uma esparramada geral pra acalmar o ambiente…

        Lendo seu último parágrafo lembrei que quando você nasceu eu não pegava guriazinhas atrás da escola… já tinha 3 filhos… rsrsrsrsrsrs….

        Eu sobrevivi a maior parte da minha vida sem celular, sem WhatsApp, sem computador, sem iFood, sem jogos eletrônicos, sem um monte dessas coisas… por outro lado tive que desenvolver outras qualidades…sabe aquela música que o Roberto Carlos um dia gravou… amante á moda antiga… então… como sou desse tempo desenvolvi essas qualidades… porisso vou te dar uma dica e nem vou cobrar por isso… essas coisas funcionam até hoje… rsrsrsrs

  11. Leandro Carvalho - Saudades da época em que Saints+Primetime+Superdome = Certeza de vitória permalink
    18/12/2015 09:09

    Legal U10…legal mesmo…

    Eu também queria ter visto essa D# com Law, Seau, McGinest e etc…
    Vi vídeos…mas queria ter visto em tempo real…rs

    Assim como outras lendas da D# como Dome Patrol, Steel Curtains, Ravens 2000 e principalmente Bears 85 4-6 defense…minha maior paixão (nem sei como não sou torcedor dos Bears…de tanto que gosto dessa D#…rs)

    Sobre o Brady…ele foi um cara que alguém olhou lá de cima e falou: “Eu escolho você…enfezadinho”

    Ele esteve no lugar certo e na hora certa.
    Ele teve ótimas defesas e recebedores muito bons quando era novão e precisou entrar na fogueira…
    Quando ele começou a perder um pouco isso ele já era bom e dava conta do recado sozinho…ou melhor, acompanhado do BB.

    Acho ele um dos maiores vencedores do esporte. Não no sentido de conquistas…mas no sentido da essência. Ele tem um…um “ki” de vencedor (não acredito que fui lá no Dragon Ball…afff)

    Mas já disse que, tecnicamente também não gosto tanto dele…”Ahhh o release dele e blablabla”

    Não gosto do spin, do braço, do “toque” na bola, do footwork…

    Mas se eu tivesse, à minha disposição, todos os QBs e tivesse que escolher um pra vencer um jogo eu escolheria o Brady sem pensar duas vezes…

    Abraço irmão…
    Ae…mulekada ta precisando trocar ideia ctg sobre a liga…da sinal de vida lá…

    • 18/12/2015 10:22

      só uma correção sobre o nome da defesa do Chicago Bears em 85. não era uma defesa em formação 4-6, como o pessoal costuma achar. Ela tinha esse nome devido ao safety do time, Doug Plank, número 46, ser uma peça chave no esquema.

      • Leandro Carvalho - Saudades da época em que Saints+Primetime+Superdome = Certeza de vitória permalink
        18/12/2015 12:18

        Sim sim…sei disso Marcelo….

        É que, inevitavelmente, acabou virando o “nome” da defesa…

        como se Bears 85 fosse um nome científico…sabe?

        Mas os conceitos que Buddy Ryan utilizou eram fantásticos…e quando são aplicados ainda hoje (como fizeram os Rams em um lance ontem sobrecarregando a OL no lado do RT) são muito efetivos, e difíceis de serem “rebatidos”…

        Mas valeu a dica irmão…Abraço

    • U10 permalink
      18/12/2015 15:20

      Ae o Ravens 2000 era “o pica da galáxia”… até o Curti seria campeão lá como QB… kkkk

      • Leandro Carvalho - Saudades da época em que Saints+Primetime+Superdome = Certeza de vitória permalink
        18/12/2015 16:04

        Ahhh aquilo era fantástico também….

        O dia que os Saints tiverem uma D# metade do que foi aquela pode dar o Lombardi na mão do Brees…

  12. Jay Cutler permalink
    18/12/2015 10:33

    Parabéns pelo texto.

  13. Pedro Lima permalink
    18/12/2015 11:50

    Sabe aquela palavra que define a carreira vencedora do Montana e do Brady? Essa palavra é “worth it”. Não importa se nos achamos eles os melhores ou não, o que importa é que eles foram os jogadores perfeitos para o momento das suas franquias e não tenho dúvidas que tenha valido a pena cada tackle sofrido pelo montana ou cada celular quebrado pelo Brady. É fantástico ver Brady jogar (não posso falar isso do montana pq nao vi), é fastastico ver como seu jogo simples funciona e é isso que o faz sensacional.
    Sou um cara muito feliz de acompanhar o futebol americano mesmo sofrendo por torcer pelo Dolphins e ver que o time não consegue chegar ao nível de competitividade do Jets, sei que tem um leão na divisão mas tenho certeza que o time poderia deixar de ser patético por pelo menos uma temporada mas nada la funciona como funcionou com o Jets do Rex por alguns anos.
    Fico triste tbm de o Dan Marino não ter também esses mesmos 4 anéis, talvez se tivesse ele seria o melhor da história.
    Fico triste do Kelly não ter ganhado um dos seus superbowl.
    Fico triste pelo Brees ter q roer o osso todo santo ano de suas temporadas.
    Fico triste pelo A-Rod que, na minha humilde opinião, não conseguirá outro anel de superbowl, Green Bay é uma franquia fantástica, se eles cultivassem a raça ao invés o relax, ele terminaria sua carreira com 3 anéis.
    Fico triste pelo Rams não ter um QB para levá-los para os PO, não há time mais equilibrado que eles, pena que eles não tem um Qb worth it.
    Fico triste de ta postando isso por um celular minusculo e nao da p revisar o que to escrevendo.
    Só não fico triste por ter me apaixonado pelo futebol americano e de ter o prazer de acompanhar essas feras que atuam nesse esporte.

    • U10 permalink
      18/12/2015 15:19

      Talento Pedrão… tu tem talento irmão… escreve mias…

  14. U10 permalink
    18/12/2015 15:24

    Leandrão tá tudo muito corrido hj e ainda fui roubado… então esse ano tá muito complicado pq da última vez q reagi gastei uns 15 conto e toh ateh agora meio sem celular…

    Só não acredito q ganhei aquele jogo por menos de meio ponto e agora tenho q te enfrentar… mas a liga é assim né

    • Leandro Carvalho - Saudades da época em que Saints+Primetime+Superdome = Certeza de vitória permalink
      18/12/2015 16:01

      Tava mais feliz antes…rs

      Os matchups do Luiz tavam ruins…

      A previsão é de 350pts p/ ti…

      Tava melhor antes…rsrs

  15. Diogo permalink
    18/12/2015 15:56

    Muito legal esse texto! Sou torcedor dos Saints e fãzaço de Brees (um dos melhores que vi jogar, pronto, falei!) e acho que tenho a mesma sensação que os fãs de Manning tem com relação a Brady, aquela coisa que fica tentando culpar o mundo (“se não fosse Bellichick ele não seria quem é”, “com Gronk como TE até eu…” e etc) pelo talento indiscutível do cara. É difícil assumir, mas ele é melhor que Brees, Manning e TALVEZ (me recuso a admitir) o melhor da história.

  16. Jugger BR permalink
    19/12/2015 15:58

    Time que joga sujo eu não respeito, e esse time tá sempre envolvido em escândalo. Esse cara pode fazer chover dinheiro na Red Zone que eu não vou respeitar. QB bom pra mim é A-Rod e Big Ben. O primeiro é mágico e o segundo é um tanque de guerra…

  17. Matheus permalink
    09/02/2017 06:11

    Com certeza esse é um dos melhores textos que eu ja li, na verdade li esse texto faz um tempo mas depois desse dois últimos super bowl vencido pelo brady eu venho aqui vê o que você tem a dizer……esperando ansiosamente você atualizar 🙂

  18. carlos permalink
    10/02/2017 08:27

    e a gente está esperando ansioso a volta do autor do post que faz um tempão que está off

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: