Skip to content

Até que ponto uma franquia pertence a cidade ?

20/01/2016

Anaheim-Stadium-in-1985

Anahein Stadium em 1985 em uma partida do Los Angeles Rams

Até que ponto uma franquia pertence a cidade ?

Texto escrito por U10

Na semana passada vimos o Saint Louis Rams voltar a ser Los Angeles Rams e isto representa muito mais do que dinheiro, significa que torcedores de uma grande região dos Estados Unidos ficarão sem o “seu” time para torcer. Recentemente isto aconteceu com o bom centro financeiro de Houston, que possuía uma franquia os Oilers que passaram a formar os Titans em Nashville, contudo, fez-se uma expansão para que a cidade não perdesse o seu mercado e, para tanto, foi criado o Texans. Mas o que a NFL fará com St. Louis e a resposta é: nada.

Até que ponto uma franquia é de uma cidade ou região? O meu time saiu do Candlestick Park, numa região absolutamente fanática por futebol americano e mudou-se para Santa Clara em seu Levi’s Stadium. Confesso que nunca fui em seu novo endereço, mas aquele estádio velho e cheio de defeitos, emanava uma história tão grande e tão forte que, guardadas as devidas proporções, pode ser comparada à mudança feita no Maracanã. Sim, porque se o Flamenguista viu Zico, nós vimos Joe Montana. Se o Botafoguense viu Garrincha, nós vimos Jerry Rice. Se o Vascaíno sabia que Roberto Dinamite não ia decepcionar, Ronnie Lott jamais jogou uma partida sem dar 200% em campo. Se o torcedor do Fluminense se encantou com o Casal 20, quem de nós não saiu com a boca aberta ao ver Steve Young? Acabou a mística do “Sobrenatural de Almeida”, não existe mais Candlestick Park.

Até que ponto as cidades têm times que podem chamar de seus?

Se por um lado os Packers representam um estado, assim como os Bears ou os Patriots, existem rivalidades próximas como Steelers e Eagles ou 49ers e Raiders, onde nos confrontos você certamente tem um vizinho que torce para o rival e isso é legal também. A Flórida tem 3 times, mas não há rivalidade, porque a cultura local é diferente e existe a pior média de público da NFL na região. No entanto, mesmo não vendendo todos os ingressos ninguém diz: Vamos tirar os Dolphins daqui e mandar para Los Angeles ? Por quê?

Por que existem interesses maiores por trás de tudo. Esses 100 milhões de dólares que Raiders e Chargers receberão da NFL para permanecer em suas cidades é dinheiro de doce para uma NFL que gira no mínimo 6 bilhões de dólares anuais. Não, você não leu errado. A NFL é o terceiro negócio esportivo mais lucrativo do mundo, ficando atrás somente da Champions League e da NBA, só que a NFL “funciona” de Setembro a Fevereiro… Sim, nós estamos falando do esporte mais lucrativo do Planeta.

Por que os Rams saíram de Los Angeles? Porque davam prejuízo e a proposta de St. Louis foi melhor. Nessa época, os fãs dos Los Angeles Lakers tinham um time meia boca, mas havia um plano que contou com a troca em que um tal Kobe Bryant foi parar na cidade e depois veio Shaq e o Lakers se tornou “o time” dos anos 2000. O Clippers era café com leite e os Rams fizeram sucesso na virada do século em St. Louis.

Por que os Rams vão voltar pra Los Angeles? Porque Kobe anunciou aposentadoria e ninguém no Lakers é vendedor de camisa nato. Porque lá quem manda hoje é CP3 e Blake Griffin. Porque seria legal ver camisas escrito Gurley ou Austin, ou de algum dos ótimos jovens defensores do time. O defensive tackle do Rams Aaron Donald tem tudo para ser o novo Warren Sapp, porque ele é muito melhor que o Ndamukong Suh, por exemplo. Os Rams em Los Angeles também tem uma outra coisa: Eric Dickerson e a história.

Talvez você não saiba, mas a presença do Gurley é decisiva. Ele é o running back mais promissor de uma NFL sem RBs bacanudos, badass. Os Rams, além de Dickerson tiveram dois dos melhores running backs que eu vi jogar: The Bus e Marshall Faulk. Esses três caras vendiam camisas e movimentavam a economia vendendo ingressos. Hoje o Gurley é a cara da franquia e isso não é tão fácil, quanto se pensa.

O Bears tem um “cara da franquia”? Não. 49Ers tem? Dolphins tem? Bills tem? Jets tem? Não. Não. Não e não. Quanto valem os Colts sem Andrew Luck? Ou os Texans sem o JJ Watt? O mundo dos negócios precisa de grandes jogadores e eles não dão em árvores então, o negócio da NFL sempre é ter caras com valor de marketing e merchandising.

Por último também existe a questão do tamanho do mercado. Temos mercados pequenos onde um time já é o suficiente. É o que acontece com os Vikings, que dominam o mercado de Minnesota. Ou os Cardinals que tiveram o seu estádio novamente dividido entre seus torcedores e dos Packers ou os mercados gigantescos: Nova York, Texas e Califórnia. Contudo, a cidade mais rica do estado não tinha time e o negócio acaba de ser fechado.

Na minha opinião, daqui a 5, no máximo 10 anos, teremos uma franquia em Las Vegas. Não faz sentido esse polo do entretenimento mundial não ter time, especialmente porque a temporada é curta e são 8 jogos em casa numa época do ano muito propícia e que muita gente viaja para lá. Americano no domingo, vai ao estádio, menos na Flórida… rs

Até que ponto uma franquia é de uma cidade? Até o ponto em que o amor de seus torcedores pela franquia e a reciprocidade dela para com seus torcedores é maior ainda. Ninguém no mundo consegue imaginar Denver sem seus Broncos ou Seattle sem os Seahawks, mesmo a suja e mal cuidada Detroit jamais se divorciará dos seus Lions, mesmo eles sendo inconstantes e partindo o coração dos seus torcedores como no Hail Mary do Aaron Rodgers. Então, a NFL não é só negócios, se a cidade comprar a briga, junto com a sua torcida, uma franquia jamais muda de lugar.

Concorda com U10 ? Gostou da mudança do Rams para Los Angeles ?

 

Anúncios
23 Comentários leave one →
  1. Ricardo Homero De Marco permalink
    21/01/2016 07:16

    Ótimo texto! Parabéns!!

    Ricardo Homero De marco “Eu costumava dizer: Eu certamente espero que as coisas mudem. Então eu aprendi que o único modo de as coisas mudarem para mim é quando eu mudo”- Jim Rohn

    Date: Wed, 20 Jan 2016 23:07:28 +0000 To: demarcorhd@hotmail.com

    • U10 permalink
      21/01/2016 09:15

      Valeu Ricardo,

      Sou fã do Jim Rohn também e de um dos seus muitos discípulos: Tony Robbins.

  2. Pedro - Ravens permalink
    21/01/2016 09:41

    Essa é a parte do esporte que eu não gosto, a parte em que se tem cabeça demais e coração de menos. Os caras fazem as contas, crescem o olho no lucro que tal cidade dá e derrepente jogam as coisas dentro de um caminhão e se vão. Não estou falando do caso do ST Louis pq todos sabemos da preferência deles pelo Baseball, mas foi o que aconteceu em Baltimore e o mesmo aconteceu em Cleveland, em Houston com os Oilers e etc. Esse pensamento de “bussiness” acima de paixão pra mim é muito prejudicial, desde cedo as crianças aprendem que amor a alguma coisa está abaixo de valores materiais e custo benefício. Não que eu seja um saudosista da época que os jogadores davam a vida por uma franquia, dos caras que decidem renovar por menos dinheiro do que foi oferecido por outras franquias para ele se mudar, mas pow, se for só dinheiro nessa porra de jogo para os caras fingirem amor, que diferença existe entre um jogador e uma prostituta?

  3. Marco Dias permalink
    21/01/2016 11:14

    Grande texto, U10!

    Interessante esta questão de coincidir a mudança dos Rams para St. Louis com a ascensão de Kobe no Lakers e agora com a sua aposentadoria a volta dos Rams para a cidade. O mais curioso é que o Lakers já teve vários grandes times durante a sua história, com o Rams em LA.

    Outro ponto: não sabia da grande rivalidade Steelers x Eagles. Sei que elas já se uniram uma vez, por isso até achei que seriam “amigos”. Só por serem do mesmo estado gera a antipatia? Tipo pra ver que é que manda na Pensilvânia?

    Abs!

  4. Jay Cutler permalink
    21/01/2016 11:44

    Ótimo texto.

    Mas eu acho que nem os apaixonados torcedores de Raiders e Warriors vão segurar essas franquias em Oakland.

    • Marco Dias permalink
      21/01/2016 13:37

      Pois é… só não sei se me acostumo com “San Francisco Warriors”.

      Do mesmo jeito que gostaria que ainda tivéssemos o “Seattle SuperSonics”.

  5. Leo Cavalcantibem permalink
    21/01/2016 13:37

    A questão financeira sempre vai falar mais alto nos esportes coletivos americanos… é possível que no futuro nem tão longínquo assim, tenhamos um aumento no número de franquias na NFL, e assim a liga contentará “gregos e baianos”… acho que grande dificuldade é que teria que incluir mais 8 franquias para dar estabilidade nas divisões das conferências.. com mais 8 franquias teríamos 5 em cada divisão… nada de extraordinário… aí a coisa pode ficar legal pra nós… pois teria que haver um aumento de umas 3 semanas na regular season… os POs continuariam exatamente como são atualmente… como já comentamos num post anterior algumas cidades merecem uma franquia na NFL… mas o ideal seria um nova franquia pra essa cidade e não receber uma franquia pela mudança de cidade… aí pode ser que se crie o amor do torcedor por ela…

    Agora … existe uma paixão real pelas suas franquias em todas cidades???… em algumas cidades sim.. em outras é duvidosa essa paixão dos torcedores… Pensem em Boston… dá pra imaginar essa cidade sem os Celtics ou sem os Red Sox???… Nova Iorque sem os Giants, Knicks ou sem os Yankees???…

    Tem mais um aspecto pra pensar nesse troca-troca de cidades… não dá pra comparar a NFL com a MBL por exemplo, em termos de tradição e paixão das torcidas… perguntem em St. Louis qual franquia eles gostariam de manter na cidade… os Rams ou os Cardinals… e essa cidade já abrigou os atuais Arizona Cardinals jogando lá… é evidente que por lá o beisebol tem muito mais importância e desperta mais paixão que o FA… em outras cidades ocorre a mesma coisa… então se a franquia não dá retorno em determinada cidade, tem mesmo que mudar de ares…

    Acho que poucos estados americanos respiram mais FA que o Alabama… mas faça uma pesquisa no estado pra ver se eles querem ter alguma franquia na NFL jogando em Birmingham por exemplo… ninguém vai querer… porque o que eles querem mesmo é ver as duas universidades do estado jogando e caso alguma franquia se instale por lá no máximo em 10 anos teria que mudar de cidade…não vai ter apoio dos torcedores e o negócio vai pro buraco…

    Portanto não acho errado os owners mudarem de cidade se não tem reciprocidade da torcida local… afinal a grana é deles e tem que fazer o que for melhor pra suas franquia$$$$$$…

    Quanto ao amor duma torcida ou jogadores pela franquia, é uma questão de que pra nós faz muito sentido, mas que por lá não tem muita razão de existir… quem são os pais do profissionalismo esportivo??? os americanos… eles profissionalizaram o esporte em todos os sentidos… e qual o sonho de todo garoto americano… ser um profissional de algum esporte… porque lá se paga muito bem… e tem mais… ninguém chega nas grandes ligas sem ter passado pela universidade… que é o grande celeiro dos esportes… bem diferente do que acontece por aqui… onde desde cedo aprendemos a gostar de um determinado CLUBE… e passamos a vida inteira torcendo por esse CLUBE… é muito diferente de torcer por uma franquia… algumas cidades já passaram por essa experiência… o maior exemplo é São Caetano que recebeu um baita investimento, ganhou projeção, mas nunca teve torcida dentro da cidade e hoje mal consegue sobreviver…

    O sentimento de torcida a que estamos acostumados é muito diferente dos americanos… e o profissionalismo do futebol bretão está mudando alguns conceitos… há menos de 30 anos ninguém imaginaria um ídolo do Cruzeiro defendendo o Atlético… ou do Grêmio defendendo o Inter (antes que chovam criticas, citei essas duas rivalidades pra não falar dos centros mais importantes do país, que são SP e Rio… tá) … e hoje é normal ver isso acontecer… o cara saí dum clube e chega no outro já beijando o escudo daquele foi seu rival até um dia antes… e o lado profissional do atleta como fica???… vale todo amor por uma qualquer franquia se ela não remunera como o cara merece???… tem as exceções??? claro que tem… hoje pode oferecer todo salary cap de qualquer franquia pro Tom Brady…e vê se ele sai dos Patriots… mas se qualquer franquia fizesse uma oferta melhor que os U$ 231.500,00 que os Patriots fizeram pra ele em 2.000… acha que ficaria nos Patriots???… duvido… hoje ele recebe um monte de elogios por ter feito uma renegociação salarial, aceitando até ganhar menos pra ficar nos Patriots..mas é pura balela.. ele já tá com a vida feita… veja quanto ele ganhou nesses anos todos… então 5 mi a mais ou a menos pouca diferença faz…

    Acho que isso responde a pergunta final do comentário do Pedro… sobre se existe diferença entre um jogador e uma prostituta… quem já não passou por essa experiência e entrou num puteiro qualquer, com R$ 100,00 pra descolar um programa….e mirou naquela gostosona… aí apareceu outro cara oferecendo R$ 150,00 pela mesma garota… em 100 % dos casos, ela te deixou na mão na mesma hora (aí teve que usar as mãos … literalmente… rsrsrs)… e aí existe diferença?????????? ….rsrsrsrsrsrsrs

    • Pedro - Ravens permalink
      22/01/2016 07:55

      Hahaha ótimo comentário Léo!

    • U10 permalink
      22/01/2016 09:05

      Tá barato o cardápio dessa “casa de entretenimento noturno”… kkkkk

      • Leo Cavalcanti permalink
        22/01/2016 09:36

        Pra você ver… é que serviu apenas para exemplificar tá… rsrsrs… assim como tava barato o cardápio do draft de 2000… rsrsrs…. mas diga a verdade… quando tava tudo certinho nessa “casa de entretenimento”…o melhor petisco da casa falando que no seu ouvido que você era o homem mais lindo do mundo, o cara que ela tava esperando a vida inteira… no seu pensamento já tava até querendo morar com ela… aí apareceu aquele cara bem mais feio que você, mas ofereceu 150,00 e você só tinha 100,00… de príncipe você virou sapo…. e você ficou na mão…
        Cara tudo na vida tem um preço… mas tudo que o dinheiro pode comprar é barato….

  6. Wild Horse permalink
    21/01/2016 15:53

    Até ponto nenhum… a não ser que o time chame Green Bay Packers… hahaha

  7. Leandro Carvalho - Pra quem quer jogador de defesa, esse draft vai ser legal... permalink
    22/01/2016 09:13

    Fala U10…Fala Danilo…Fala galera…quanto tempo!

    Ótmo texto…mesmo…

    Acho que essa situação, resumindo, foi de estourar a corda pro lado mais fraco.
    Oakland tem uma grande história.
    San Diego não mas a cidade toda fez beicinho.
    St. Louis faz tempo que é aquela mina que “tá ali”…faz parte da galera…tu até sabe que ela existe…mas chega na balada tu nem lembra…

    Los Angeles bateu na mesa e disse: “Me dá um time”
    NFL fez “minha-mãe-mandou-eu-escolher” e bateu no cachorro que tava mais perto de estar morto…

    Realmente sinto falta do Seattle SuperSonics…eram bem legais…

    Acho que o pessoal de Oakland vai rodar também…infelizmente

    E isso tudo me faz até temer um pouco que, em um futuro não tão próximo, meu Saints também sofra uma dessas…mesmo com toda a história do katrina e o apelo de cidade do jazz e etc

    • U10 permalink
      22/01/2016 11:04

      Rapaz eu passei por uns 12 estados e não te vi… tu tava no serviço de proteção à testemunha moleque? kkkk…. Seja bem vindo devolta e sinta-se em casa pra por o pé na mesinha da sala! rs

      Parabéns pelo título e um salve pra tua GM tbm!

      • Leandro Carvalho - Pra quem quer jogador de defesa, esse draft vai ser legal... permalink
        22/01/2016 12:21

        Opa…to de volta…

        Tava um pouco corrido por aqui…e quando – raramente – eu tinha 1 minutinho pra dar uma olhadinha aqui tinha umas discussões esquisitas…passava direto…rsrs

        Mas agora que acalmou e tem umas paradas legais (esse texto teu foi animal…à moda antiga) juntei as coisas e voltei…

        E Vamos ao SB, e logo logo à Off-Season… a ultima me traz até calafrios…

        Lembro do choque ao entrar no site da NFL e ler em letras garrafais:

        SAINTS TRADE JIMMY GRAHAM FOR MAX UNGER AND A FIRST ROUND PICK!

        quase chorei…rsrs

        Quanto à liga, aparece lá no site da liga que o pessoal tava discutindo umas alterações (reduzir o banco, reduzir algumas posições, pra ter jogador disponivel durante a temporada no waivers e no FA)

        Abrazzzz U10…

    • Leo Cavalcanti permalink
      22/01/2016 12:13

      Também tenho essa sensação Leandro… se a coisa não melhorar a médio prazo (uns 8 anos no máximo) acho que não veremos mais o New Orleans Saints… até lá acredito que o efeito Katrina já tenha sido solucionado e a vida volta ao normal… agora o apelo de cidade do jazz isso ela nunca vai perder… e se (que Deus não me ouça) os Saints saírem de lá, ainda assim vale a pena conhecer essa cidade… mesmo que seja apenas pra dar uma espiada no MBSD… e lembrar dos caras que pisaram naquele gramado…

  8. U10 permalink
    22/01/2016 09:15

    Bem, na verdade nós temos um Grande Problema na AFC… QUATRO TIMES QUE NÃO SE ACERTAM DE JEITO NENHUM!!

    BROWNS – Cara, eles trocaram três vezes de técnico em 5 anos. De QB de primeira rodada já foram 2 recentemente, isso sem contar os Free Agents. O time é um show de horrores, mesmo tendo um bom plantel. Aí não há torcida q resista.

    DOLPHINS – Sério mesmo? Os Dolphins são fracos demais, deviam estar fazendo de tudo pra renovar com seu RB, mas parecem q não estão nem aí. Dão uma dinheirama pro Suh e fica tudo por isso mesmo. Precisavam do Tannehill? Eu não vejo ele 1% melhor q o seu backup Moore e, não tem nenhum jogador parrudo pra vender camisa. Aí não vai.

    TITANS – Desde a temporada fantástica do CJ2k esse time não faz nada. Tinham Vince Young, mas ele não aprendeu a jogar Futebol Americano, só isso. Hoje o time tem Maricota, uma defesa ok, mas não vai pra frente… parece catiça… kkkk torcida nenhuma curte time assim.

    JAGUARS – Oh meu os Jaguars estão tentando! É sempre isso! Quando pegam bom RB falta QB, pega QB falta DB, pega DB falta pass rush, pega pass rush tem q draftar RB denovo… e por aí vai… o time é aquela casa que vive em reforma… como o torcedor vai se identificar com essa droga? Não dá.

    Fica difícil pro torcedor também!

    Depois eu vou falar um pouco das torcidas imensas de times ruins, né Eagles.

    • Leo Cavalcanti permalink
      22/01/2016 09:40

      Esse negócio de torcidas imensas de times ruins pode render bons comentários…

  9. Leo Cavalcanti permalink
    22/01/2016 10:26

    Por falar em comentários estamos chegando aos 55.000… e hoje passará de número… mas estamos bem abaixo da meta dos 60.000 comentários proposta pelo U10… e não foi por falta de assunto durante a temporada não… temos alguns “profissionais” meio afastados(as).. rsrsrs… agora nas próximas 3 semanas o site volta a bombar…
    Vamos lá galera… não custa nada dar uma passadinha diária e postar algum comentário… o nosso Big Boss.. o Danilão, merece nosso reconhecimento…

    • U10 permalink
      22/01/2016 11:05

      Chegamos a 55.000 hehe

      • U10 permalink
        22/01/2016 11:05

        Jah é uma conquista neh…

      • Leo Cavalcanti permalink
        22/01/2016 11:43

        Pelo menos conseguimos isso… é uma conquista mesmo… mas semana que vem a coisa melhora e vamos ter logo após o SB mais uns 600 comentários pelo menos… se os Patriots forem pro SB então… pode chegar aos 1.000… rsrsrsrs

  10. Rafael - Rams permalink
    23/01/2016 07:54

    Eu como torcedor do Rams fiquei feliz com a mudança, St Louis é cidade que gosta de beisebol isso e os ultimos 10 anos sem pos-temporada e anos vergonhosos da franquia desanimou os torcedores da cidade que não iam nos jogos, e assim o Stan Kroenke (dono do Arsenal tbm) viu a chance de fazer a sua franquia que valia uns 900 milhões pular para 3,9 bilhões e agora tem a 3° franquia mais valiosa da NFL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: