Skip to content

Super Bowl 52: O que mudou no último ano no Patriots e Eagles

01/02/2018

Super Bowl 52: O que mudou no último ano no Patriots e Eagles

New England Patriots

No ano passado o New England Patriots venceu pela 5ª vez o Super Bowl, uma temporada que começou com Tom Brady suspenso por 4 jogos, Jimmy Garoppolo (agora no San Francisco 49ers) e Jacoby Brisett (agora no Indianapolis Colts) começando 2 jogos cada como titular, e terminou com a maior virada da história dos playoffs no Super Bowl contra o Atlanta Falcons.

Os dois reservas jogaram bem os primeiros jogos e a time terminou no top 5 em praticamente todos as estatísticas de ataque na temporada, 4º melhor ataque em jardas conquistadas, 3º maior pontuador e número 1 em bolas perdidas, foram apenas 11 turnovers em toda a temporada.

A defesa cedia jardas, mas não pontos, defesa menos vazada e que menos cedeu touchdowns da NFL.

Para os playoffs o time perdeu Rob Gronkowski lesionado e  Tom Brady decidiu soltar o braço e distribuir a bola para Julian Edelman e Chris Hogan. A defesa segurou o adversário para no máximo 2 touchdowns enquanto o ataque explodia para mais de 30 pontos.

No Super Bowl, um misto de ajustes perfeitos no intervalo, frieza e competência dos veteranos e uma entregada de tamanhos colossais.

Na inter-temporada, perderam Rob Ninkovich que se aposentou, Chris Long e Legarrette Blount foram para Philadelphia e conseguiram substituir o cornerback Logan Ryan que foi para Tennessee, com o ótimo Stephon Gilmore, sensacional marcador mano a mano.

A grande contratação foi a chegada do wide receiver Brandin Cooks que deu ainda mais profundidade ao ataque do Patriots.

Algumas lesões importantes no meio da temporada, perderam o melhor tackleador Donta Hightower, o right tackle Marcus Cannon e o herói do Super Bowl 51 Julian Edelman.

Adicionaram o veterano James Harrison no último segundo, trazendo qualidade no pass rush.

Gronkowski é dúvida recuperando de concussão.

O time terminou a temporada com o ataque número 1 em jardas totais, número 1 em primeiras descidas e segunda em pontos marcados.  Ataque aéreo número 2 e ataque terrestre número 10 (foi 7º ano passado).

Já na defesa, o time continuou cedendo muitas jardas (29ª pior) , mas apenas a 5ª em pontos tomados, mostrando qualidade na redzone, entorta mas não quebra.

Philadelphia Eagles

A temporada 2017 do Philadelphia Eagles começou no dia 28 de abril de 2016 quando o time decidiu subir para a 2ª posição no Draft que pertencia ao Cleveland Browns e escolher o quarterback de North Dakota Carson Wentz em troca de 4 escolhas (1ª rodada (8ª escolha), 4ª ,  5ª e 10ª rodadas).

Achavam ali o quarterback da franquia.

Sem poderio nenhum aéreo, fraquíssimo grupo de recebedores, o  Eagles terminou a temporada em 24º em jardas aéreas e 28º em TDs marcados.

Sendo um dos focos do time no período entre temporadas, trouxeram a estrela Alshon Jeffery de Chicago e o veterano Torrey Smith para fortalecer o grupo de wide receivers, e contaram com o renascimento de Nelson Agholor que dropou mil bolas no seu ano de novato.

Trouxeram o veterano Nick Foles para ser reserva de Wentz, Foles que já já tinha vencido nos playoffs com o Eagles 6 anos antes.

Na defesa trouxeram massa para o meio da defesa em Timmy Jernigan de Baltimore para fazer dupla com o sensacional Fletcher Cox, e criaram uma das melhores rotações de defensive ends da NFL com Vinny Curry, Brandon Graham, Chris Long , Brian Braman e o novato Derek Barnett.

Criando assim a defesa número 1 contra o jogo corrido, número 4 em turnovers criados (31) e número 4 em pontos cedidos.

Liderando o melhor time da NFL, Wentz teve uma temporada digna de MVP da NFL, uma lesão o tirou do final da temporada, e a chegada de Foles foi decisiva para a manutenção da qualidade do ataque.

O ataque do Eagles terminou em 3º em pontos marcados e número 1 em TDs passados, mérito de Jeffery (9TDs) e do tight end Zach Ertz (8 TDs).

O jogo corrido foi construído durante a temporada, Legarrette Blount veio de New England no começo da temporada, Jay Ajayi no meio da temporada de Miami e Corey Clement surgiu do nada para ser o running back de terceira descida. Juntos terminaram com o 4º melhor jogo corrido da NFL.

Além de perder Wentz com lesão no joelho, perderam o left tackle Jason Peters, o kicker Caleb Sturgis e o running back Darren Sproles.

O Patriots do Super Bowl 52 é melhor do que o Patriots do ano passado ?

Para você qual a grande mudança no Eagles esse ano para chegar ao Super Bowl ?

Anúncios
4 Comentários leave one →
  1. 02/02/2018 14:00

    não me importo com quem vai ganhar, só quero que seja um grande jogo!

  2. Marco Dias permalink
    02/02/2018 14:49

    Go Eagles!!!

  3. 03/02/2018 01:04

    Cara, o Patriots do ano passado ganhou na maior virada da história do super bowl, mas temos que lembrar do obscuro episódio da ligação misteriosa na beira do campo para o quarterback do Falcons. Depois da ligação (jamais saberemos quem era e o que queria), um apagão muito do suspeito aconteceu pra Atlanta. Assim o Tom Brady nem precisa esvaziar as bolas ahuahauhau
    A gente lembra disso aqui ó:

  4. silviopeters permalink
    04/02/2018 00:15

    Só uma correção. Foi a maior virada da história do Super Bowl mas não dos playoffs. Nos playoffs foi a virada do Bills contra o Oilers na temporada de 1992 quando perdia de 35 a 3.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: